Conhece -te a Ti mesmo !



WELCOMES

Seguidores

Seja Bem Vindo!

sábado, 30 de novembro de 2013

O Avatar




(Do sânscrito avatara que significa “decida”, de avatarati “ele desce” de ava “longe” + tarati “ele atravessa”) Encarnação do verbo; descida ou travessia do Cristo Universal do plano do Espírito para o plano da matéria. 

O avatar de uma era é o Cristo. Encarnação do filho de Deus, Vishnu, segunda pessoa da trindade. O avatar com seu complemento divino ou chama gêmea, Shakti, retrata e representa na consciência e nos quatro corpos inferiores o padrão arquetípico de Deus Pai para a evolução das almas em um ciclo de dois mil anos. Os principais avatares de uma era são em numero de dois. 





Os protótipos masculino e feminino que personificam e mostram, com seu exemplo, a senda da iniciação designado pelas hierarquias solares, responsáveis pelas ondas de vida que avançam para o centro do Cristo Cósmico, através da porta aberta, (instrutor e ensinamento) desta dispensação de dois mil anos.

 De acordo com o carma da humanidade o status "quo" evolutivo dos filhos de Deus (progresso da alma ou ausência dele  em dispensações anteriores), e os requisitos do Logos, os Manus, podem designar inúmeros seres Cristicos, para que venham para o mundo como instrutores e precursores do caminho.

 Os seres Cristicos, demonstram em determinada época, a lei do logos, desacelerada por intermédio dos Manus e dos Avatares até que se manifeste.

domingo, 24 de novembro de 2013

Os misterios do Oceano



Mistérios do Abismo:


Você sabia que, ao longo da existência da humanidade, assim como a entendemos, foram explorados menos de 5% do solo de todos os oceanos existentes nesse mundão?

Isto, é óbvio, significa que 95% dos mistérios que se encontram em águas profundas na Terra ainda não foram vistos por nossos olhos e nem tocados por nossas mãos.

O que sabemos é que todos os seres humanos ocupam ou observam uma pequena parte terrestre de 25%, enquanto os restantes 75% de toda a superfície ficam submersos.

Então podemos inferir que vivemos ao lado daquilo que equivale a um planeta três vezes maior que o nosso, como se fosse envolto por uma densa “atmosfera” de H²O.





Como vemos nos filmes de ficção científica, para explorá-lo deveríamos usar trajes especiais e máscaras que nos permitissem respirar. Que é o que já fazemos aqui.

No entanto, andamos mais preocupados em buscar vida alienígena quando temos seres dotados de diferentes níveis de inteligência apenas ao alcance de uns mergulhos.

O que pensar, por exemplo, dessa espécie de mandala tridimensional (clique nas imagens para ampliar) encontrada perto de Amami Oshima, ao largo da costa sul do Japão?

Sim, uma estrutura ondulando padrões geométricos na areia, com 6 metros de diâmetro, a cerca de 80 metros abaixo do nível do mar. Como os crop circles ingleses!




Tais círculos são popularmente associados a mensagens ou formas de comunicação deixadas por discos voadores sobre muitos pastos ou campos de trigo da Inglaterra.

Agora imagine a surpresa do fotógrafo marítimo japonês Yoji Ookata, que dedicou os últimos 50 anos de sua vida a explorar e documentar as profundezas oceânicas.

Foi ele que descobriu o que, a princípio, recebeu o nome de “círculo de mistério”. À primeira vista, uma obra tão perfeita só poderia ter sido realizada por ETs.

Mas o mergulhador instalou câmeras subaquáticas que flagaram o arquiteto marinho: um simples peixinho — um pequeno baiacú de alguns centímetros de comprimento.




O artista escamoso nada incansavelmente durante o dia e à noite para criar estas enormes esculturas orgânicas utilizando o gesto de uma única de suas barbatanas.

Através da observação cuidadosa descobriu-se que os círculos atendem a uma grande variedade de funções ecológicas, a mais importante das quais é atrair parceiros.

A fêmea passeia entre os picos e vales sobre a areia, atravessando-os para descobrir o macho. Aí o casal faz a postura e inseminação dos ovos no centro do círculo.

Os sulcos construídos pelo peixe mais tarde atuam como um escudo natural, desviando ou atenuando a força das correntes oceânicas para proteger a prole delicada.

O baiacú é uma espécie bastante comum aqui no Brasil. Também é conhecida como peixe-balão, por sua propriedade de inflar o corpo quando ameaçada por um predador.

O paradoxo da descoberta é que ela não mereceu destaque na imprensa. Imagine o escândalo caso a mandala do baiacú fosse observada na superfície de algum planeta.


Leia mais em: http://www.materiaincognita.com.br/misteriosa-mandala-com-desenhos-geometricos-no-fundo-do-mar/#ixzz2lbJCL7Jj
Fonte:materiaincognita.com.br

A Beleza de Cada Um




No momento em que a mídia enfatiza a beleza como questão de êxito para o sucesso e condição para se enriquecer de forma muito rápida;

no momento em que se observa que muitos dos nossos jovens estão mais preocupados em mostrar e explorar o corpo, do que em conquistar valores reais;

cabe-nos proceder a uma pequena pausa para meditação a respeito dos caminhos que temos buscado trilhar e daqueles que estamos apontando para os nossos filhos.

Conta-se que um homem acabrunhado entrou em um templo para fazer as suas orações. Em determinado momento, confidenciou a Deus:

Senhor, eu estou aqui porque em templos não há espelhos, pois nunca me senti satisfeito com minha aparência.

Então, na intimidade da consciência, ele começou a ouvir uma voz que lhe dizia, com entonação paternal:

Meu filho, nenhuma das minhas obras surgiu ou ficou sem beleza, pois, lembre-se, que tudo criei com amor.

A aparente feiura é resultado da miopia dos homens, que não sabem, por vezes, descobrir a beleza oculta.

De toda forma, lembre que não importa se o seu corpo é gordo ou magro. O que tem capital importância é que ele é o templo do Espírito imortal. Merece toda a consideração, pois, graças a ele, o Espírito atua no mundo para seu próprio crescimento.

Não importa se seus braços são longos ou curtos. O que tem valor é o desempenho do trabalho honesto que executam.

Não importa se as suas mãos são delicadas ou grosseiras. Sua função é distribuir o bem às outras criaturas. É acarinhá-las e lhes transmitir bem-estar.

Não importa a aparência dos pés. Sua função é tomar o rumo do amor e da humildade.

Não importa o tipo de cabelo, cor, comprimento e se existe ou não numa cabeça. O que importa são os pensamentos que por ela passam e que ela transmite, como criação sua, beneficiando ou destruindo seus irmãos.

Não importa a forma ou a cor dos olhos. O que importa é que eles vejam o valor da vida e, assim ilustrados, colaborem para demonstrar esse valor a outros tantos seres que não gozam da mesma facilidade.

Não importa o formato do nariz. O que importa é inspirar e expirar bom ânimo, entusiasmo, fé.

Não importa se a boca é graciosa ou sem atrativos. O que importa são as palavras que dela saem, edificando vidas ou destruindo pessoas.

Se você não está feliz com a sua aparência física, medite a respeito. Olhe-se no espelho, outra vez, e descubra o brilho dos seus olhos graças ao amor que lhe vai na alma.

Agradeça a possibilidade de um corpo para viver sobre a Terra, nosso lar e nossa escola.

Finalmente, recorde de grandes vultos da Humanidade, que não ganharam prêmios ou foram admirados pela sua beleza física, mas transformaram as comunidades, influenciaram o mundo com seus gestos extraordinários.

Lembre da pequenina irmã Dulce, da Bahia, da também pequena em estatura Madre Teresa de Calcutá.

Por fim, de nosso Francisco Cândido Xavier que, de sua casa, em Uberaba, portador de variadas complicações físicas, espalhava luz para o mundo, através das suas mãos envelhecidas pelo tempo.

Pense nisso.



 



por Redação do Momento Espírita, com variações a partir do texto O espelho, de autoria desconhecida. Do site: http://www.momento.com.br/pt/ler_texto.php?id=3953&stat=0.

Fonte:Centro Espírita Caminhos de Luz-Pedreira-SP-Brasil

Acesse o nosso site: www.caminhosluz.com.br
 

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

A Amargura




                Outro aspecto perturbador no comportamento psicológico do individuo é a presença da amargura, esse agente de transtornos depressivos.
 
                Pode situar-se em reminiscências inconscientes de reencarnações passadas, a causa da amargura, em forma de melancolia, saudade ou tristeza, ou pode encontrar-se na atual existência como efeito de traumas da infância, presença da imagem do pai ou da mãe dominadores, efeito das castrações pelo medo, da submissão imposta, de outros conflitos que remanescem como agentes que lhe são propiciadores.
 
                A amargura deve ser racionalizada, a fim de ser diluída e sua vítima recuperar a beleza, a alegria de ser e de viver, tomando parte ativa nas realizações do meio social onde se encontra, para fortalecimento de valores e evolução.
 
                Os exercícios freqüentes de pensamentos otimistas com reflexão, caminhadas em bosques ou à beira-mar, auxilio fraterno em obras de ajuda social e moral, entre outros, são de excelente resultado para a liberação da amargura. Igualmente, a elaboração de programas de auto-estima, a participação em labores com grupos de apoio, tornam-se estimulantes para o restabelecimento da saúde emocional do indivíduo, livrando-o do azedume e das seqüelas da amargura.
 
 
 
 
                A criatura humana existe para amar-se e ser amada. O amor é a vibração de Deus que perpassa em todas as coisas do universo. Quem não está disposto a sair do labirinto do ego, que se compraz na amargura, dificilmente se ama, será amado ou amará, por preferir ser visto pela piedade e pela compaixão, negando-se, embora inconcientemente, ao amor.
 
                O grande fanal da vida é a auto-realização, é o auto-encontro, através dos quais se identifica com o seu próximo e Deus. Para se lograr o cometimento, quem esteja nas sombras da amargura, permita-se uma fresta por onde entre a luz da esperança, e, ao banhar-se com a sua claridade, não lhe resistirá ao brilho, sendo vencido pela mensagem de que se faz portadora.
 
                A amargura é vapor morbífico que se exterioriza do sentimento doentio e domina as paisagens da mente, assim como da emoção. Todo o empenho para diluí-la é a proposta-desafio para quem pensa e anela por felicidade hoje e no futuro.
                                                   
Do livro: AUTODESCOBRIMENTO UMA BUSCA INTERIOR
Divaldo Pereira Franco/Joanna de Ângelis                                      

 Fonte:http://conhecerkardec.blogspot.com.br

Final de Ano:ciclo que se fecha



O tempo é o mestre dos eventos, das oportunidades, da hora de agir e de acontecer. O tempo gera a oportunidade de crescer e aprender. Cada vez que surge a chance diante de seus olhos, não permita que a indolência ou a falta de vontade interfira na hora final de acordar para um evento de suma importância da vida.

O ciclo é regido pelo universo, tem começo, meio e fim, desenvolve as idéias, cresce as metas, mas somente concretiza os sonhos aqueles que percorrem caminhos de mãos dadas com seu semelhante, ajudam o outro a andar e permanecer de pé.

Caminhe no decorrer do ano aplaudindo as oportunidades e nunca lastimando a forma que elas aparecem. Agradeça a saúde que convive com você e jamais procure sensações, perigos ou aventuras que destruam aos poucos ou de vez a beleza interna da alma, que é a alegria e a saúde física.




Alimente a gratidão e a fé a cada dia que passa em relação à força divina, à força familiar, a todos que de uma forma participaram de sua vida para encantar o que existe de melhor em você.

Final do ano, fim de ciclo, novos objetivos...

Sinta, nas suas escolhas, se realmente tem o sonho no fundo de sua alma. Se for positivo, a vida vai emprestar pessoas, lugares, situações, conhecimentos, livros, aprendizado para seguir este caminho e chegar ao fim do ano sentindo que aproveitou o máximo e os resultados foram nota dez. 

No entanto, se partiu pro egoísmo e não levou em conta o quanto pessoas foram pisadas e humilhadas, quantos foram deixados sem uma palavra de conforto e assim permitiu que outros fizessem o mesmo que você e ainda feliz se aliou a estas pessoas, com certeza as escolhas foram erradas, desviaram de sua meta de vida, afastaram o brilho do seu destino. 





A vida, sábia e mestre, bloqueou seus caminhos e fechou as portas, pois é hora de acordar, conferir, mudar e, finalmente, acertar, começar de novo e seguir no caminho do amor e da confiança, no caminho da estrela que cada um tem alojada dentro de seu coração, basta acionar o botão e deixar que o brilho permanente seja cada vez mais forte.

Hoje é o fim do ano, final do ciclo, vamos brindar com champanhe e enviar saúde, paz, amor, a todos do Planeta Terra... Felicidade é encerrar o ciclo emanando e recebendo sorrisos e aplausos. Mas, se você não atingiu este estágio, não se lastime. 

Na próxima hora, no próximo dia, o caminho estará livre e você, de braços abertos, vai perceber que a vida confere a todos a chance de sentir o conforto da vitória, a paz de espírito, quando o caminho, ao fim do ano, estará iluminado e ao lado de flores perfumadas abraçará cada um com um sorriso, com amor, com gratidão...

"Que Deus, ao fim deste ciclo, espalhe o aroma da afetividade e do respeito em cada ser vivo que estenda suas mãos pedindo sua proteção, iluminação em direção ao rumo certo da vida. Que assim seja em todos os lares deste planeta-casa".

Dra Miriam Zelikowski.
Bioterapia & odontologia Emocional

Fonte: http://reiki-cabala.blogspot.com.br

domingo, 10 de novembro de 2013

Ìcaro





Dédalo era um construtor e um escultor muito competente de Atenas que caiu em desgraça por ter assassinado Talo. Acolhido com amizade pelo rei Minos de Creta, Dédalo refugiou-se com o filho Ícaro na Ática. 




 Foi incumbido de construir um labirinto para guardar o terrível Minotauro, filho da Rainha Pasifae, mulher de Minos, e de um touro. Minotauro era portanto um monstro, metade homem e metade touro, que se alimentava de carne humana. O labirinto era tão perfeito que até Dédalo teve dificuldade em sair dele.
 
O rei Minos, como castigo pelo facto dos Atenienses lhe terem matado o filho Androgeu, tomou a cidade de Atenas e impôs um tributo anual de sete rapazes e sete raparigas para alimentar o Minotauro. 


Ao fim do terceiro tributo, Teseu, filho do rei de Atenas, ofereceu-se como uma das vítimas, a fim de salvar a sua Pátria do flagelo que os atingia. Ao chegar a Creta, Ariadne, filha do rei Minos, apaixonou-se pelo jovem Teseu e, com a ajuda de Dédalo, deu ao jovem um novelo de fio que guiou o herói para fora do labirinto. 



Furioso com a traição de Dédalo, o rei Minos mandou-o encerrar, juntamente com o seu filho Ícaro, numa ilha de onde não podiam fugir sem autorização do rei. Dédalo começou então a imaginar uma fuga. 

Recolheu penas de aves e, unindo-as com cera, construiu asas para si e para o filho. Conseguiram assim voar até uma ilha vizinha, mas Ícaro, entusiasmado com o sucesso da experiência, continuou a voar cada vez mais alto, não dando ouvidos a Dédalo, que de terra o advertia para não voar alto de mais, por causa do sol. 

Como se aproximou demasiado do sol, este derreteu a cera das asas e Ícaro caiu no mar Egeu, afogando-se para grande desgosto de Dédalo, que mais não pôde fazer do que observar e chorar a morte do filho. A ilha, onde caiu o corpo do jovem Ícaro, recebeu o nome de Icária.


Fonte: infopedia.pt

A Aura Humana





Você com certeza já deve ter conhecido alguém assim: basta chegar perto para se envolver numa maravilhosa onda de luz e paz. Sua energia é tão positiva e contagiante que poderia até ser tocada. Outras pessoas, ao contrário, provocam uma desagradável sensação de cansaço, como se roubassem nossa energia. Esta capacidade de apagar ou iluminar o ambiente reflete o poder da nossa aura.
 
Uma pessoa altamente emotiva com um chakra do plexo solar desenvolvido e descontrolado, pode causar destruição. Por outro lado uma pessoa que use corretamente o centro do coração, leva a inspiração a centenas de pessoas, expandindo sua Aura e tornando seu campo energético mais amplo, mais forte, mais protegido e mais resistente aos ataques das energias telúricas e de energias negativas.
 
Ela foi estudada nos anos setenta pelo físico russo Samuel Kirlian, que inventou a kirliangrafia, que não é nada mais que a fotografia da nossa aura. Através dela pode-se detectar visualmente que todo ser humano representa um gerador de energia que produz um campo energético.






A aura é constituída por quatro campos, quatro camadas:
 
1) Aura da saúde física;

2) Aura astral ou emocional;

3) Aura mental;

4) Aura do corpo etérico.

Existe uma correlação entre o estado geral de corpo-mente-alma de uma pessoa e seu corpo vibratório. Danos à alma, tensão e fraquezas físicas tornam-se perceptíveis, antes mesmo de se manifestarem em você, tais como depressões, fadigas e doenças. Quem passa por uma perda, terá chances de se recuperar mais rapidamente se seu campo energético estiver equilibrado.
 
Antes de tudo, devemos esclarecer a essência da aura. Todos os pensamentos e atos humanos pertencem ao bem e ao mal. A espessura da aura é proporcional à quantidade de pensamentos bons e maus. Internamente, quando uma pessoa pratica o bem, sente uma satisfação na consciência. Esses pensamentos se convertem em luz, somando-se a luz do corpo espiritual. Quando, ao contrário, os pensamentos e atos sãos maus, estes se convertem em nuvens do corpo espiritual.
 
Externamente, quando se faz o bem aos outros, os pensamentos de gratidão das pessoas beneficiadas também se convertem em luz. Transmitidos através do fio espiritual para a pessoa que praticou o bem, aumentam a luz desta. Quando, ao contrário, a pessoa recebe transmissões de pensamentos de vingança, ódio, ciúme ou inveja, suas nuvens aumentam. Por isso, é preciso praticar o bem e proporcionar alegria aos outros, evitando provocar pensamentos de vingança, ódio ou ciúmes.
 
Para assegurar a boa luminosidade de sua aura todo cuidado é pouco. Ciúme, raiva, ódio ou inveja podem atuar negativamente sobre o equilíbrio dos campos energéticos. O primeiro passo é combater as situações de estresse com constantes exercícios de relaxamento, caminhar e viver situações que salientem o seu lado alegre.
 

 
 
 

A AURA E SUAS CORES

 
 
Ensinaremos uma técnica bem simples para visualizar a aura de alguém. Use apenas sua intuição.
 
Coloque-se na frente pessoa. Fixe seu olhar nos intercílios (ESPAÇO ENTRE AS SOBRANCELHAS).
 
 Conte até 5. Feche os olhos por alguns segundos.Depois, fixe sua atenção no alto da cabeça da pessoa que está na sua frente. Conte até 5. 
 
Feche os olhos e pergunte mentalmente: "Qual a cor da sua aura". A resposta virá instantaneamente.
 
Apresentamos algumas das qualidades principais das cores, as quais se referem à segunda camada da aura, que nos indica o estado de nossa alma:





 
Autoconfiança, capacidade de resolver problemas e de perdoar. Pessoa que ama a paz; sensibilidade. É organizador, planejador e estrategista.

 
Capacidade de dar e receber; ter esperanças; a saúde e a família desempenham um papel importante. Tem o dom de trabalhar em grupo harmoniosamente. O amarelo é uma das cores cinestésicas do espectro; isso significa que uma pessoa com aura desta cor tem uma reação física antes de ter uma resposta emocional ou intelectual. Quando ele entra numa sala cheia de gente, sabe de imediato se quer permanecer ou não.

 
Capacidade de curar através das próprias energias mentais e espirituais; age sobre os outros de modo agradável e calmante; altos ideais de vida; sinceridade. O Azul personifica as características do cuidado e do carinho. É a cor da aura que mais se preocupa em ajudar os outros.

 
Destemidos, poderosos e descuidados com a própria segurança pessoal, brandem os punhos fechados contra o próprio Deus. Sua busca espiritual é, na verdade, uma busca de um sentido de vida além de si mesmo.

 
Adora saber como e por que uma determinada coisa funciona, e lança mão de uma paciência infinita. A espiritualidade, para a pessoa de aura dourada, é o estudo da ordem superior do universo e de leis e princípios que o governam. Ele quer entender a organização mental, as leis ou as probabilidades que geraram a ordem no interior do caos espiritual.

 
Ênfase no modo de vida material; sucesso alcançado através da dedicação pessoal completa; saúde física estável; tendência à irritabilidade quando contrariada.

 
Espiritualidade bem desenvolvida; inspirações criativas; capacidade de transformar os sofrimentos pessoais em fatores positivos para o próprio destino. O violeta é a cor do espectro mais próxima do equilíbrio psíquico, emocional e espiritual em vigor no planeta neste momento.

 
Um curandeiro, médium natural. Utiliza energia para transformar luz em em raios que curam, seu maior desafio é aprender a se conhecer e descobrir seus dons especiais.

 
A aguda perspicácia intelectual é um dos aspectos mais gratificantes e mais exasperantes, é brilhante e inquiridor, com uma inteligência que vai muito além dos conceitos mais tradicionais.
 
Leia mais na Fonte: http://olharesoterico.blogspot.com.br

A Kundalini




Literalmente “serpente enrolada”; energia latente em espiral no chakra da base da coluna: a Força Vital: a energia da Mãe. Quando a Kundalini é despertada (mediante técnicas iogue especificas, posturas e mantras bija, disciplinas espirituais ou intenso amor por Deus) ela começa a subir pela coluna vertebral passando pelos canais Ida, Pingala e Sushumna, penetrando e ativando cada um dos chakras.

 A elevação da Kundalini antes que a purificação da alma e a transmutação  de momentuns negativos de vidas passadas tenham ocorrido pode ocasionar insanidade, possessão demoníaca, desejo sexual descontrolado e desordenado ou uma perversão da Força Vital em todos os chakras.




O elo perdido na tradição oriental de elevação da Kundalini é o uso do decreto dinâmico na ciência da Palavra falada para atrair do EU SOU 0 QUE EU SOU e do corpo causal, a Luz do Pai e a compreensão de que a Luz dos chakras superiores se destina a magnetizar a Luz da base da coluna, levando-a até o coração. 

A Luz do Pai que desce, unindo-se no coração com a luz da Mãe, que sobe da base da coluna, resulta na percepção do sagrado coração e na integridade de Alfa e Omega.
A Mãe Abençoada deu-nos o rosário como um método seguro para a elevação da luz Mãe através do interno calor do amor e da adoração, e não de uma violenta explosão de energia. 




A purificação da aura e dos chakras pela Chama Violeta também permite que a Kundalini se eleve gradualmente, sem riscos. Quando usados em conjunto com a Chama Violeta, os mantras bija dedicados a Mãe Divina são seguros, pois são patrocinados por Saint Germain, cujo experimento de transmutação unindo as técnicas do Oriente e do Ocidente, combina decretos dinâmicos, meditação e mantras dedicados às deidades femininas e propicia uma senda de aceleração para os discípulos das duas tradições. Saint Germain recomenda os decretos do tubo de luz e de proteção do Arcanjo Miguel como preparação para estas sessões.


Renascer e Remorrer




Usufruímos na Espiritualidade o continente sem limites de onde viemos; no Universo Físico, o mar sem praias em que navegamos de quando em quando, e, na Vida Eterna, o abismo sem fundo em que desfrutamos as magnificências divinas.

No trajeto multimilenário de nossas experiências, aprendemos, entre sucessivos transes de nascimento e desencarnação, a alegria de viver, descobrindo e reconhecendo a necessidade e a compensação do sofrimento, sempre forjado por nossas próprias faltas.

Já renascemos e remorremos milhões de vezes, contraindo e saldando obrigações, assinalando a excelsitude da Providência e o valor inapreciável da humildade, para saber, enfim, que toda revolta humana é absurda e impotente.

Se as lutas do burilamento moral não têm unidade de medida, a ação do amor é infinita na solução de todos os problemas e na medicação de todas as dores.

Tolera com paciência as inevitáveis, mas breves provas de agora, para que te rejubiles depois.



Nos compromissos espirituais, todos encontramos solvibilidade através do esforço próprio. Aproveitemos a bênção da dor na amortização dos débitos seculares que nos ferreteiam as almas, perseverando resignadamente no posto de sentinelas do bem, até que o Senhor mande render-nos com a transformação pela morte.

Sempre trazemos dívidas de lágrimas uns para com os outros. Vive, assim, em paz com todos, principalmente junto aos irmãos com os quais a tua vida se intercomunica a cada instante, legando, por testamento e fortuna, atos de amor e exemplos de fé, no fortalecimento dos espíritos de amigos e descendentes.

Se há facilidade para remorrer, há dificuldades para renascer. As portas dos cemitérios jamais se fecham; contudo, as portas da reencarnação só se abrem com a senha do mérito haurido nas edificações incessantes da caridade.

As dores iguais criam os ideais semelhantes. Auxiliemo-nos mutuamente.

O Evangelho – o livro luz da evolução – é o nosso apoio. Busquemos a Jesus, lembrando-nos de que o lamento maior, o desesperado clamor dos clamores, que poderia ter partido de seus lábios, na potência de mil ecos dolorosos, jamais chegou a existir.

 

pelo Espírito Lins de Vasconcellos - Do livro: O Espírito da Verdade, Médium: Francisco Cândido Xavier

 Centro Espírita Caminhos de Luz-Pedreira-SP-Brasil

Acesse o nosso site: www.caminhosluz.com.br


quarta-feira, 6 de novembro de 2013

A Lenda das Margaridas




As margaridas são as flores que abrem antes do nascer do dia, por isso foi-lhes dado o nome "olhos do dia". Na tradução do grego margarida significa "pérola".

     Existe uma lenda relacionada com o seu aparecimento:


      Uma menina pequenina sussurrou um pedido ao céu da noite: "Oh estrelas! Por favor, queria que se transformassem em flores, para que eu pudesse brincar com vocês.






" As estrelas refletiram num orvalho matinal e quando a menina acordou, viu muitas margaridas prateadas no seu jardim. Então o Sol perguntou de manhã à margarida:"Estás feliz? Tens algum desejo?" 

     " Obrigado - respondeu a margarida - estou feliz. Mas deixa-me florescer todas as estações, para poder alegrar as crianças." Depois o Sol tocou na margarida com os seus raios solares e deixou no meio da flor um círculo amarelo. 


    




 Outra lenda diz que havia uma bonita donzela, que era perseguida por um homem velho há já algum tempo. Então, ela pediu proteção à natureza e esta transformou-a numa margarida. 

     Na Idade Média um cavaleiro, que se iria casar, gravou no seu escudo a imagem de uma margarida. Ludovico IX, em honra da sua mulher margarida, ordenou que a flor fosse gravada na bandeira real e também no seu anel. 


Fonte:flordelysrs.com.br

Negociações com os Desencarnados




“A proibição de Moisés era assaz justa, porque a evocação dos mortos não se originava nos sentimentos de respeito, afeição ou piedade para com eles, sendo antes um recurso para adivinhações, tal como nos angúrios e presságios explorados pelo charlatanismo, e pela superstição. Essas práticas, ao que parece, também eram objeto de negócio e Moisés, por mais que fizesse, não conseguiu desentranhá-las dos costumes populares.”

O CÉU E O INFERNO - 1ª parte — Capítulo 11º — Ítem 4.

 
 
 

Contam que Periandro, o tirano de Corinto, depois da desencarnação de Melisses, sua esposa, mandou evocar-lhe o espírito, através de famoso médium de Dodona, no Epiro, a fim de informar-se quanto ao local em que fora enterrado um tesouro e cujo segredo levara para o túmulo. O espírito, no entanto, recusou-se a divulgar a informação sob a alegação de que o marido esquecera de prestar-lhe algumas homenagens póstumas. Ciente da queixa da “sombra” mandou Periandro que se fizessem as cerimônias, após o que, o espírito deu os pormenores solicitados.

Desde a mais remota antigüidade as sombras dos mortos eram convocadas ao comércio com os homens, em nefandas mancomunações, alongando e mantendo no além-túmulo os vínculos com as paixões turbulentas e mesquinhas que os caracterizavam, com resultados quase sempre decepcionantes...

Em todos os povos as oferendas aos desencarnados eram feitas através de evocações burlescas e selvagens, nas quais se pretendia intercâmbio rendoso e imediato. Tais práticas, apesar de degradantes, alongaram-se pelos séculos e, ainda hoje, não são poucos aqueles que supõem encontrar nas modernas sessões mediúnicas do Espiritismo cristão, as possibilidades de negociar com os desencarnados em propostas ridículas, vazadas nos mais eloqüentes despropósitos.

Médiuns há que sintonizam com espíritos de todo quilate.

Espíritos há que se comprazem em intercâmbio com médiuns possuidores dos mais abjetos sentimentos.

O Mundo Espiritual é residência fixa dos viajantes do mundo corporal...

Cá e lá as condições de vida se assemelham, as circunstâncias morais têm as mesmas nuances.

Não há porque estranhar repontem em todo lugar as informações apaixonadas deste ou daquele negocista das especiarias mediúnicas, relatando descobertas valiosas, doando possibilidades de vida fácil e sem esforço, deslumbrados pelo que os Espíritos dizem e se propõem fazer...

Os desencarnados, embora considerados mortos vivem, e mesmo os menos esclarecidos podem informar, esclarecer, falar do passado, pensar, homens que foram espíritos que são, com preferências, com aspirações.

Tens, porém, a Doutrina Espírita para teu consolo e roteiro. Não te mente para agradar, não te engana para conquistar.

 
 
 
 
 Consola-te e recomenda cuidado com o erro e o crime.

Guia-te e liberta-te das paixões.

Diante do sofrimento não alude à dor com evasivas, utilizando o desculpismo de tão bom paladar para os trêfagos.

Mas te fala dos erros de ontem que hoje resgatas, e, quando separado de a quem amas por este ou aquele motivo, não te acena vãs promessas e loucas esperanças, esclarecendo que o óbice de agora é lição para o futuro, preconizando fraternidade e amor em moldes elevados e libertadores.

Não te enganes nem enganes a ninguém.

O Espiritismo é como a luz — não enseja equívocos.

Prometido por Jesus e por Ele próprio denominado Consolador, o Espiritismo ajuda o espírito a ascender, embora seja através da cruz de provações que outra não foi, senão aquela mesma que o Mestre conduziu ao Calvário, e na qual ensinou libertação e felicidade perene à Humanidade, milênios afora, em sublime negociação de amor sem fim.

 

Joanna de Ângelis

Fonte: http://ensinosespiritas.blogspot.com.br
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...